Startups aceleradas pelo projeto mineiro cederão apenas 4% de participação, menor porcentagem entre as nove aceleradoras do programa

 As empresas que optarem por serem aceleradas, dentro do Programa Start-Up Brasil, na Acelera-MG terão que ceder 4% de equity à instituição. Esse é o menor valor entre as nove aceleradoras selecionadas pelo Governo Federal para participar do programa. O percentual corresponde a todo o suporte que será oferecido às empresas, incluindo mentorias, consultorias, infraestrutura, capacitação, networking e acesso ao mercado, entre outros benefícios além dos R$ 200 mil para custeio da equipe aportados pelo Governo Federal.

O menor valor de equity se justifica pelos apoios institucionais acordados para o Acelera-MG. “Todo o retorno será reinvestido no programa”, aponta Thiago Maia, presidente da Fumsoft, instituição que lidera o projeto juntamente com as entidades representativas do setor de TI em Minas Gerais (Assespro-MG, Sindinfor e Sucesu Minas), em parceria com o Governo de Minas, Prefeitura de Belo Horizonte e outras organizações públicas e privadas.

A proposta mineira se articulou em torno dos setores mais desenvolvidos no estado: Energia e Gás, Mineração, Saúde, Logística e Telecomunicações. As startups que desenvolvem soluções para esses mercados poderão ter contato com diretores e executivos de empresas que são referência em cada uma dessas áreas, como a Oi S/A e a Cemig, que já formalizaram seu apoio ao projeto. No entanto, o Acelera-MG acolherá empresas de vários setores.

Além dos serviços de mentoria, consultoria e infraestrutura, as empresas que ingressarem no Acelera-MG terão acesso a investidores, participarão de ciclo de capacitações e conhecerão mais sobre os editais de incentivo à inovação em aberto. O projeto ainda oferece serviços opcionais, como assessoria de imprensa, mentoring intensivo, apoio à internacionalização e outros. Detalhes do projeto podem ser encontrados em www.aceleramg.com.br.

Para obter esse apoio, as startups interessadas precisam se inscrever no processo de seleção para o Programa Start-Up Brasil, regulamentado pelo Edital MCTI/SEPIN/CNPq N º 11/2013. A proposta a ser submetida deverá indicar a aceleradora a que a empresa gostaria de se associar.

fumsoft_aceleramg_tem_menor_equity_startup_brasil_corpo_site

Evento no dia 3 de maio tirou dúvidas sobre o edital do Start-Up Brasil e apresentou detalhes sobre o projeto Acelera-MG