acelera_mgti_fumsoftA Acelera-MGTI é uma das aceleradoras credenciadas pelo programa Start-up Brasil, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação–MCTI, que tem como objetivo induzir o desenvolvimento das empresas nascentes. O programa disponibiliza, durante o período das atividades, mentorias, infraestrutura física, capacitação em diversas áreas e apoio tecnológico e jurídico, além de eventos voltados para o empreendedorismo. A Acelera-MGTI divulgou o resultado dos três primeiros meses de trabalho das cinco startups alocadas na capital mineira.

Heap up: A empresa de Belo Horizonte desenvolveu uma plataforma de pesquisas/entretenimento onde o usuário é recompensado sempre que responde às pesquisas ou participa das atividades disponíveis. O foco da Heap up é voltado para criar soluções que facilitem, estimulem e multipliquem a adesão à pesquisa on-line por parte das empresas e institutos de pesquisa. Acompanhando a tendência mundial, a Heap Up torna a coleta de dados para pesquisa de marketing muito mais acessível, ágil e com maior credibilidade, ampliando este mercado no Brasil.

Ao entrar na Acelera-MGTI, a base de clientes cresceu 60% e, atualmente, conta com mais de 85 mil usuários. Foi desenvolvida uma nova plataforma e será lançada em 2014, além de obter expansão na equipe.

Leva lá: A empresa de Lavras (MG) criou um marketplace (o mercado pode acontecer em um espaço físico (real) ou em um espaço virtual) de serviços de transporte que conecta embarcadores e transportadores, facilitando a negociação e a contratação, e que emprega o conceito de social commerce para promover a melhoria da qualidade dos serviços e das relações. A proposta é trazer visibilidade ao transportador autônomo e à pequena empresa de transporte, possibilitando que tenham acesso a informação sobre cargas/fretes disponíveis na região onde se encontram, enviem propostas e sejam contratados diretamente pelo embarcador, aumentando sua margem de lucro e reduzindo a dependência de grandes transportadoras e agenciadores. 

Com o processo de aceleração, a startup atingiu mais de 1.200 usuários, entre eles, estão 22 embarcadores; 1.152 transportadores autônomos; 4 cooperativas de transportadores autônomos; 35 empresas de transporte; e mais 6 mil veículos.  Realizou parcerias com diversos sindicatos de transportadores autônomos e federações. Com estas parcerias, a startup tem o potencial de atingir mais de 350 mil transportadores autônomos em todo o país, além do avanço no processo de customer development.

GoGeo: A finalidade da GoGeo, startup de Goiás, é desenvolver aplicações geoespaciais que exploram análises e visualização de grande volume de dados geolocalizados A empresa  armazena e processa dados geolocalizados de forma distribuída em cloud computing para viabilizar real time maps e location analytics. A capacidade de processamento distribuída torna viável tecnicamente a oferta de serviços inusitados de LBS a baixo custo.

A startup obteve aperfeiçoamento do modelo de negócio devido as mentorias oferecidas pela Acelera-MGTI, expansão do networking e aproximação com potenciais investidores, parceiros e clientes.

App prova: O aplicativo da empresa belo-horizontina foi criado para incentivar alunos a estudar por meio de um jogo de perguntas, com geração de dados sobre desempenho para as instituições de ensino. O escopo é ajudar a melhorar a performance dos jovens em todo o Brasil, através do desenvolvimento de plataformas educativas para os principais testes que os estudantes enfrentam em suas vidas acadêmicas.

Desde que começou o processo de aceleração, o número de contratos fechados dobrou. A startup lançou um novo produto, o AppProva Concursos, que antes era apenas o AppProva ENEM. Com esse avanço o número de usuários ativos cresceu mais de 30%.

Sensimob: A startup americana trabalha no desenvolvimento de aplicativos flexíveis e customizáveis para o gerenciamento de equipes de campo, onde o rastreamento inteligente de localização e uma robusta infraestrutura de comunicação se juntam para formar uma avançada ferramenta de produtividade a distância. A meta da equipe é fornecer soluções simples e adaptáveis para negócios e desenvolvedores facilitando a utilização de aplicativos de geolocalização.

A entrada da startup na Acelera-MGTI rendeu visitas as empresas de segurança privada em Belo Horizonte e Brasília para conhecer melhor o mercado brasileiro, além de entender os desafios e dificuldades enfrentadas. A empresa realizou a contratação de mais dois colaboradores, disponibilizou o site em versão brasileira, todo o material de marketing foi traduzido para o português e o planejamento financeiro para 2014 foi concluído. Houve crescimento considerável, com relação ao desenvolvimento do aplicativo, que foi segmentado em três módulos: Shield (para o setor de segurança), Showtime (para eventos) e Shift (para logística). Dessa maneira, será possível impulsionar a comercialização dos produtos e atender integralmente às demandas dos consumidores.

Segundo o coordenador do programa Acelera-MGTI, Felipe Byrro, o resultado foi satisfatório: “Aprendemos muito com o programa de aceleração nesse período de três meses. Com a junção das startups, claro, cada uma com seu desenvolvimento, conseguimos entender o caminho de cada uma e orientá-las. Nesse ciclo de aceleração obtivemos um resultado bem acima do esperado. Acredito que com potencial, sinergia e o suporte que oferecemos, há possibilidade de gerar grandes negócios. As startups que estão alocadas conosco ficaram muito mais maduras e com networking desenvolvido, além de uma visão clara do que fazer ou não. Minhas expectativas para os próximos meses é que as startups cresçam cada vez mais”.

O programa Acelera-MGTI é uma realização das entidades que representam o setor de TI em Minas Gerais (Assespro-MG, Fumsoft, SINDINFOR e Sucesu Minas), em parceria com o Governo do Estado, a Prefeitura de Belo Horizonte, entre outros órgãos públicos e privados.