aprovadasAs startups Opinion Box, AppProva e GoGeo, integrantes da primeira turma do Start-Up Brasil e aceleradas pela Acelera-MGTI, registraram resultados positivos no balanço realizado pelo programa Start-Up Brasil. Segundo o coordenador da Acelera-MGTI, Felipe Byrro, a turma 1 da Acelera-MGTI trouxe muito aprendizado. “Além disso, conseguimos atrair boas empresas, que tiveram uma evolução interessante tanto no Start-Up Brasil como na Acelera-MGTI”, frisa.  

O levantamento foi apresentado durante o 1º Demo Day Start-Up Brasil, que foi realizado, em São Paulo, na primeira semana de novembro. O encontro reuniu mais de 250 convidados, entre startups apoiadas pelo programa federal, investidores e parceiros.

De acordo com o coordenador de aceleração do Start-Up Brasil, Igor Mascarenhas, as duas startups da Acelera-MGTI que mais se destacaram foram Opinion Box, soluções digitais para pesquisas de mercado e coleta de dados primários, e AppProva, aplicativo de educação para incentivar alunos a estudar por meio de um jogo de perguntas, com geração de dados sobre desempenho para as instituições de ensino.

Para o coordenador de aceleração do Start-Up Brasil, a Opinion Box ampliou em 100% o número de colaboradores e lançou novos produtos. Já a AppProva conquistou grandes parceiros, como, por exemplo, a revista Veja, dobrou o número de alunos que acessaram a plataforma da empresa durante a aceleração no programa Start-Up Brasil, realizada de setembro de 2013 a agosto de 2014, e também quintuplicou o número de funcionários.

“No dia 9 de dezembro, a Opinion Box marcará presença no Demo Day Internacional, que será realizado em São Francisco, nos Estados Unidos, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e reunirá 14 startups das turmas 1 e 2 e diversos investidores estrangeiros”, destaca Mascarenhas. O COO da Opinion Box, Felipe Shepers conta que depois de passar pela primeira turma do programa a empresa registrou crescimento em vários âmbitos, como por exemplo, na base de usuários, que já passa de 100 mil pessoas.

Segundo o diretor de relacionamento da AppProva, Rafael Luiz, o grande benefício de participar do programa foi a oportunidade de receber a bolsa. Atualmente, estamos aumentando ainda mais nossa base de clientes. Em relação ao faturamento, durante o programa, faturamos R$ 500 mil e, hoje, depois do processo estamos chegando perto de R$ 1 milhão.

A GoGeo, startup que desenvolve aplicações geoespaciais que exploram análises e visualização de grande volume de dados geolocalizados, também fez parte da primeira turma do Start-Up Brasil. O CEO da empresa, Vagner Sacramento, conta que antes de entrar no programa eles estavam em uma fase de protótipo do produto Big Data e de construção do modelo de negócios. “Durante o ano que participamos da primeira turma do Start-Up Brasil tivemos a oportunidade de ter contato com especialistas que ensinaram a empresa a lidar com os colaboradores e com o recursos humanos. Hoje, temos estratégias para o nosso modelo de negócios e estamos ampliando nossa rede de relacionamento com parceiros e clientes”, explica.

Turma 1

A turma 1 contemplou 45 startups, das quais 38 eram brasileiras e sete internacionais. Elas receberam apoio para a pesquisa, desenvolvimento e contratações, além de investimento e mentoria de aceleradoras. O valor captado no mercado de R$ 9,63 milhões durante a aceleração superou o valor público investido que foi de R$ 7,7 milhões. De janeiro a agosto de 2014, o faturamento das startups cresceu 139%, com um aumento de 63% no número de colaboradores das empresas.

Os setores mais representados na turma 1 foram: educação (onze startups); varejo (seis); logística e transporte; tecnologia da informação e telecom; eventos e turismo; e finanças, cada qual com três startups.

Continuidade

Lançado em novembro de 2012, o Start-Up Brasil funciona por edições, com duração de um ano, e realiza duas chamadas públicas, uma para qualificar e habilitar aceleradoras e outra para a seleção de projetos startups, com duas rodadas semestrais.

Em dois anos de execução, mais de 2.200 empresas se inscreveram nas três primeiras edições. Nas turmas 1 e 2 foram apoiadas 94 startups, a turma 3 está fechando contrato com as aceleradoras e as inscrições para a turma 4 terminaram em outubro.

O ciclo da turma 1 terminou no Demo Day, mas o contato e o auxílio continuam: as 45 startups serão acompanhadas ao longo de toda a sua jornada, com o monitoramento regular de suas atividades, o compartilhamento de dados e a permanência das aceleradoras nas empresas, gerando um ciclo de mentoria com as novas participantes do programa, que entram na turma 4 em 2015.