Financiado com recursos da Lei de Informática, projeto de automação de testes de software é concluído com sucesso

Uma indústria de soluções para bilhetagem eletrônica, uma empresa especializada em testes de software e uma instituição científica e tecnológica se juntaram para inovar. A Empresa 1, a Base2 Tecnologia e a Fumsoft acabam de concluir um projeto de automação de testes que mostra como as oportunidades para a inovação vêm se ampliando em Minas Gerais.

empresa-1-base2-e-fumsoft-juntas-em-projeto-inovador_foto_corpo_site

A reunião de esforços foi possível por causa dos incentivos da Lei de Informática, que concede benefícios fiscais para indústrias de bens de informática, telecomunicações e automação. Por cumprir o Processo Produtivo Básico (PPB), a Empresa 1 é beneficiária e pode aplicar esse recurso por meio de instituições de pesquisa e desenvolvimento, como a Fumsoft.

Para o gerente de Desenvolvimento de Software da Empresa 1, Alex Carvalho de Almeida, o projeto foi concluído com sucesso. “Os resultados desta parceria dão mais segurança para a Empresa 1 seguir buscando investimentos para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e soluções, contribuindo assim para tornar Minas Gerais uma referência global do setor”, aponta.

Segundo Almeida, o projeto permitiu grande avanço no processo de produção de software da Empresa 1. “Com o objetivo de viabilizar a automação de testes do Sigom Vision, produto premiado internacionalmente pela UITP como inovação tecnológica, o projeto gerou uma base de 130 casos de testes automatizados em um ambiente de integração contínua”, explica.

Para a consultora de negócios e projetos da Fumsoft, Paula Coelho, “a execução desses projetos nas indústrias locais é uma oportunidade de fortalecer a cooperação entre indústria, pesquisadores e empresas do setor de TI em Minas Gerais. Ela também ressalta que o incentivo contribui para a transferência de conhecimento científico e tecnológico para o mercado.

Em dezembro de 2011, a Fumsoft foi credenciada no Comitê da Área de Tecnologia da Informação (Cati), órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, e se tornou uma instituição qualificada para captar e executar projetos com Lei de Informática. Nesse período, a instituição vem atuando no desenvolvimento de projetos inovadores de P&D na área de software, hardware, software embarcado, testes e formação de mão de obra qualificada.