conciliadoraA consultoria norte-americana Marketer prevê que o mercado eletrônico cresça anualmente com taxas de dois dígitos até 2018, pelo menos. Isso indica uma migração cada vez maior para atividades de compra online.

Mas você sabia que um dos principais motivos para o fechamento das lojas virtuais são as fraudes? Por isso, quem entra nesse tipo de negócio deve ficar atento!

E há ainda mais um agravante. As grandes instituições financeiras que estão por trás das transações com cartão de crédito não assumem os riscos destes crimes. São os lojistas os mais prejudicados já que a responsabilidade fica toda por conta deles na maior parte dos casos.

E é inacreditável como é fácil fraudar através do comércio eletrônico no Brasil. Veja este caso: existem páginas nas redes sociais em que os criminosos anunciam e negociam pacotes com dados de cartões de diversas bandeiras. Os golpistas ainda ensinam as “melhores práticas” para realizarem as fraudes pela internet.

Está tudo a favor dos criminosos cibernéticos no Brasil, pouco custo para realizar a fraude, pouco risco e retorno elevado.

Estas facilidades só incentivam e ajudam a crescer o número de fraudadores e de novas fraudes.

Negligência do lojista

O vazamento de informações pode prejudicar dezenas, centenas e milhares de pessoas de uma vez só. Uma pessoa mal intencionada é capaz de invadir e conseguir todas as informações de cartões de crédito dessas pessoas pela internet.

Ao armazenar os números de cartões de crédito dos seus clientes, os lojistas colocam em risco a sua segurança. E na maioria dos casos não é preciso guardar essas informações. Mas muitos sites ainda insistem em manter todos esses dados sem nenhuma segurança.

Hackers

Ainda existem os ataques de hackers motivados por questões políticas ou ideológicas. Neste caso, os dados pessoais das pessoas também podem vazar e serem roubados para a prática de golpes. Em 2013, 110 milhões de pessoas foram afetadas em vazamentos de dados na Target, rede de lojas dos Estados Unidos.

Algumas tecnologias são de extrema importância para barrar as fraudes no seu e-commerce. Mas especialistas afirmam que elas sempre vão ocorrer, o importante é mantê-las em um nível de 1%. Caso você tente zerar este índice, o seu e-commerce também barra algumas vendas que não são fraudulentas e seriam ótimas para o seu negócio.

Além dos sistemas antifraudes e de segurança de informação, há grande interesse e devem ser usados, pelas empresas, tecnologias que realizam a conciliação de cartão, conferência automatizada de todas as vendas com cartão desde a aprovação na maquineta até o depósito em conta bancária. Esta é uma forma eficaz e fácil de monitorar frequentemente a ocorrência de fraudes e reduzir significativamente as perdas financeiras.

Píndaro Lutero – Fundador da startup Conciliadora, empresa de conciliação de cartões para gestão financeira empresarial. É apaixonado por soluções em TI e automatização de processos para empresas. Atua como analista de sistema e especialista em desenvolvimento de soluções para controle do fluxo de vendas com cartões para empresas.