O mercado de cartões passou recentemente por uma grande mudança, que foi a quebra da exclusividade de bandeiras em maquinetas de cartão e a partir de abril deste ano, outra alteração ainda mais impactante irá acontecer.

Haverá um limite para o pagamento do chamado “valor mínimo” do cartão em apenas uma vez, ou seja, você pode ficar no rotativo por 30 dias. Com isso, se você tem uma fatura de R$1.000,00 por exemplo, poderá pagar o mínimo e no próximo mês, terá que quitar o valor restante ou a dívida será parcelada pelo banco emissor do cartão, mas com juros menores. Hoje, com o uso constante do rotativo essa taxa chega a 484% ao ano.

Segundo Roberto Setubal, presidente do Itaú, “A solução é mais ampla, vai ter outras mudanças”, que bancos e emissores de cartões tem discutido com o governo medidas complementares para redesenhar o sistema de cartão de crédito.

“Se só mexer nessa variável (rotativo), a tendência vai ser reduzir a oferta de crédito, o que ninguém quer. Precisamos encontrar uma solução em que o nível de perdas fique reequilibrado”, defendeu o presidente do Itaú.

Espera-se que esta mudança possa contribuir para a recuperação da economia brasileira em 2017, na redução da taxa de inadimplência dos brasileiros e consequentemente, o início do crescimento do crédito.

Neste comparativo das linhas de crédito fornecido pelo Banco Central, é possível confirmar o impacto da redução dos juros na modalidade parcelado, frente ao rotativo.

Veja abaixo as 4 perguntas mais comuns sobre a mudança:

  1. O parcelamento do rotativo, como vai funcionar?

Cada banco terá liberdade para estabelecer suas regras neste quesito. Mas todos eles terão que parcelar a dívida do cliente quando ultrapassado o prazo para quitação pelo rotativo. A quantidade de parcelas pode variar de acordo com o valor em aberto e também baseado no perfil de cada cliente.

Aqueles que após o parcelamento não pagarem em dia, serão considerados inadimplentes e poderão ter seus cartões bloqueados.

  1. Todas as vezes que eu ultrapassar o prazo para pagamento do rotativo, será iniciado automaticamente o parcelamento?

Sim. Segundo os bancos, se o parcelamento não for automático ao invés de reduzir os juros, ele aumentaria. A justificativa é pelo fato de que muitas pessoas acabariam não escolhendo a linha de crédito desejada e com isso a inadimplência aumentaria.

  1. Então não poderei escolher o tipo do parcelamento?

Isso vai depender de cada banco. Em caso de clientes que já tenham uma conta corrente no banco emissor do cartão, possibilita a escolha para uma linha de crédito para o parcelamento. Mas neste caso, terá que ser feito o contato com o banco antes do parcelamento automático acontecer. Fique atento!

  1. Posso ter mais de 1 parcelamento em andamento?

Sim. Mas não é permitido pelo Banco Central somar dois parcelamentos, será criado um novo cada vez que você não quitar o rotativo.

A boa notícia é que a bola de neve que não parava de crescer em função dos juros sobre juros, não acontecerá mais neste caso. O maior controle nas compras com cartão será uma realidade que tende a beneficiar a todos com a redução na inadimplência e nos juros.

Veja também: Mudanças em cartões de crédito podem ajudar os varejistas

Píndaro Lutero

Píndaro Lutero

Píndaro Lutero – Fundador da startup Conciliadora, empresa de conciliação de cartões para gestão financeira empresarial. É apaixonado por soluções em TI e automatização de processos para empresas. Atua como analista de sistema e especialista em desenvolvimento de soluções para controle do fluxo de vendas com cartões para empresas.